hg

 

Critérios gerais de avaliação de trabalhos

 
 

A seção de critérios de avaliação de «Retos» tem por objetivo estabelecer e apresentar, de maneira clara, as medidas que orientam os processos de avaliação dos diferentes artigos recebidos.  

Não está somente direcionada aos membros do Comitê Científico, mas também aos autores. Pretendemos que seja um guia prático dos parâmetros avaliativos dos textos apresentados para sua possível publicação.

O propósito que orienta o trabalho do Comitê Científico de «Retos» não é apenas avaliar a qualidade dos textos para publicação, mas também e, fundamentalmente, contribuir para o avanço da pesquisa das disciplinas envolvidas no estudo e no desenvolvimento da atividade físico-esportiva, mediante leitura e discussão acadêmica dos trabalhos submetidos à avaliação. Nossa intenção é seguir contribuindo, na medida do possível, com o avanço das disciplinas relacionadas à dita área acadêmica.  

A seguir, apresenta-se um breve resumo de alguns aspectos importantes das normas de publicación, a fim de facilitar o trabalho do Comitê Científico.

1. «Retos» publica trabalhos que sejam realizados com rigor metodológico e que se caracterizem como uma contribuição ao progresso de qualquer âmbito científico da atividade físico-esportiva. Serão submetidos à avaliação aqueles trabalhos que sejam enviados a alguma das seguintes seções:

  • De caráter científico: trabalhos de pesquisas básicas e/ou aplicadas.
  • De divulgação e/ou experiências didáticas empíricas. Intercâmbio de propostas e experiências desenvolvidas.
  • Revisões de literatura (que também podem ser propostas ou solicitadas pelos membros do Comitê Científico, com preferência para os textos que se comprometam com questões críticas de pesquisa e que discutam temas polêmicos).

Deve-se ter em conta que, segundo os critérios de qualidade dos periódicos assumidos por nossa publicação desde 2006, a porcentagem de artigos de revisões de literatura em relação ao total publicado por número não poderá ser superior a 25%; em outras palavras, 75% devem ser artigos originais que comunicam resultados de pesquisa. Igualmente, pelo menos 80% dos autores deverão ser externos à Equipe Editorial e virtualmente afastados da organização editorial do periódico.

2. Os trabalhos deverão ser originais e inéditos, não sendo admitidos os que tenham sido publicados total ou parcialmente, nem os que estejam em processo de publicação ou que estejam sendo avaliados por outro periódico. Assume-se que todas as pessoas que figuram como autoras concederam sua anuência e que qualquer pessoa citada como fonte de comunicação pessoal consente tal citação. É responsabilidade dos autores as possíveis irregularidades ou plágios de seus textos.

3. Com a finalidade de manter o anonimato da autoria e de se realizar uma avaliação cega, os autores não terão seus nomes indicados em qualquer parte do texto do trabalho, exceto na primeira página do artigo. É necessário ainda que os autores se esforcem para não incluir no artigo nenhum tipo de menção que identifique a autoria do trabalho. É garantido que o artigo e o nome de seus autores terão total confidencialidade até a sua publicação.

4. Todos os artigos serão avaliados anonimamente por três pareceristas do Comitê Científico, expertos na temática do trabalho original, com reconhecida capacidade e sem vinculação institucional com o periódico, que serão selecionados pela Equipe Editorial. Estes avaliadores serão externos, independentes ao periódico, e julgarão a pertinência da publicação do texto e, em seu caso, indicarão as alterações oportunas. O método de avaliação empregado é “cego” (anonimato do autor e dos avaliadores), sendo um membro da Equipe Editorial o responsável por estabelecer contato entre ambos. O manuscrito e o parecer dos expertos são, sem dúvida, documentos confidenciais e não devem ser discutidos com os pares, sendo conhecido somente pelo editor do periódico, que será o responsável por enviar ao/s autor/es, de forma totalmente anônima, o parecer final com todos os comentários emitidos pelos avaliadores do trabalho.

5. Os autores deverão especificar a área temática na qual o artigo deve ser incluído, revisado e avaliado. Os autores podem sugerir, independentemente das razões, que alguns avaliadores que integram o Comitê Científico não sejam envolvidos no processo de avaliação do trabalho. Igualmente, o/s autor/es podem sugerir nomes de expertos (do Comitê Científico ou não) adequados para a valoração de seus trabalhos, independentemente de que, após o processo, sejam convidados ou não pelo periódico para demais avaliações.  

6. Consideradas as sugestões da Equipe Editorial e do Comitê Científico, o resultado do processo de avaliação poderá ser:

1. Aceitar o artigo.
2. Rejeitar os trabalhos que não sejam considerados apropriados.
3. Aceitação condicionada às correções necessárias para a sua publicação.


7. Os avaliadores deverão preencher o arquivo do modelo de avaliação correspondente, atendendo à seção na qual foi o artigo incluído, além de considerar os critérios respectivos e específicos para a avaliação de manuscritos.

8. Os pareceristas deverão enviar o parecer da avaliação ao editor do periódico, em um prazo máximo de dois meses desde a confirmação de envio/submissão do artigo para avaliação.

9. Os aspectos que devem ser considerados por parte dos autores, a partir de um ponto de vista formal, podem ser acessados na seção apresentação dos trabalhos.